Como fazer captação de pacientes no marketing digital para clínicas
07/12/2020
paciente sorrindo para dentista que investe em boas postagens para instagram odontologia
Como fazer as melhores postagens para Instagram odontologia
23/12/2020

SEO médico: como fazer e ficar no topo do Google

mulher com estetoscopio ao lado do laptop trabalhando em SEO medico

O SEO, search engine optimization, é um conjunto de técnicas utilizadas para conseguir que uma página melhore seu ranqueamento nas ferramentas de busca. Ou seja, ele faz com que uma página torne-se mais amigável para o Google e apareça em mais resultados. Qualquer pesquisa simples no Google mostra milhares de resultados e esses números aumentam diariamente. Por isso, um bom trabalho de SEO médico com palavras-chave faz toda a diferença para quem quer ser encontrado. Sem ele é impossível destacar-se da multidão através do resultado das buscas orgânicas.

Para conseguir um bom SEO a página precisa adequar-se a uma série de critérios. É através deles que o buscador entende que ela atende às necessidades do usuário e que é um resultado de qualidade. Mais à frente revisaremos alguns deles para ajudar seu negócio a estar sempre na frente nas buscas orgânicas.

Por que usar SEO médico no seu site?

Hoje em dia não existe como fugir da necessidade de SEO. Qualquer comportamento de compra começa no Google ou em outros buscadores. Isso significa que quando alguém procura especialistas médicos precisará escolher entre os milhares de resultados exibidos. Mas sejamos honestos, poucos passam da primeira página de links.

Em geral, os primeiros sites recebem a esmagadora maioria dos acessos. De acordo com o Search Engine Journal, 60% dos cliques vão para os 3 primeiros resultados da busca. Combine essa estatística com o fato de que 75% dos usuários sequer sai da primeira página do Google e você já sabe por que investir em SEO.

Ele não só pode melhorar os resultados do seu marketing para clínica médica. Ele é vital para ser encontrado por possíveis clientes. Aplicando-o bem em seu negócio a procura por serviços e conversões tende a subir consideravelmente.

Otimizações de SEO médico usadas por agência de marketing digital

Existem alguns tipos de estratégias de SEO médico que agências combinam para conseguir cliques. Elas podem ser divididas em dois grandes pilares:

  • SEO on-page;
  • SEO off-page.

O primeiro tipo é aquele identificado pelo usuário final. Ele consiste em otimizações para melhorar a experiência de quem acessa o site e também para mostrar ao buscador que ele é um resultado relevante. Para isso, utilizam-se otimizações técnicas na estrutura do site, bem como se faz um trabalho de conteúdo para este enfocado nas palavras-chave de busca mais procuradas naquele determinado segmento.

Além da otimização de textos e organização hierárquica dos títulos, o trabalho também inclui, por exemplo, tornar as URLs do site mais amigáveis, baixar o peso da imagens e mudar os textos alternativos destas, as alt tags. Muitas vezes o on page é combinado com a criação de um blog para otimizar o conteúdo. No SEO on-page, itens, como velocidade de carregamento da página e otimização para dispositivos mobile também são trabalhados e fazem toda a diferença.

Já o offpage é menos visível. Mas extremamente (e cada vez mais) importante. Nele é feito o trabalho de direcionamento de links para sua página, advindos de outros sites, de forma que o seu artigo e o artigo linkado se complementem. Isso faz com o Google aumente a pontuação de autoridade do seu site fazendo com que este seja colocado em melhor posição em sua página de resultados, conhecida como SERP, ranqueando melhor suas palavras-chave.

médico ao celular fazendo SEO médico

Uso de palavras-chave relacionadas ao seu segmento

Esse é o primeiro passo para conseguir otimizar seu site. Encontre palavras-chave relacionadas ao seu campo de atuação e que sejam procuradas pelo público-alvo. Elas precisam estar presentes em diversos lugares do site, incluindo:

  • Títulos (incluindo subtítulos em artigos);
  • Alt-tags das imagens;
  • URLs;
  • Conteúdo.

Inicialmente focaremos no último item da lista: o conteúdo, o que inclui qualquer texto no site. Tudo precisa estar otimizado para usar palavras-chave relevantes em quantidade razoável. Mas tome cuidado, porque o excesso de uso, conhecido como keyword stuffing, também é ruim. O Google pode considerar que a palavra está sendo usada demais, forçadamente, fazendo com que o link perca posições.

Velocidade de carregamento do site

Já sabemos que a geração internet é bastante imediatista. Além de querer tudo muito rápido, eles também desejam ser munidos de informação com velocidade. Ou seja, quando o site demora muito para carregar a tendência é que o usuário simplesmente desista de navegar.

Acredite, o Google sabe disso muito bem. Por isso, inclui a velocidade de carregamento entre os pré-requisitos para conseguir uma boa posição. Quando o site possui problemas de hospedagem, excesso de códigos ou plugins que o impedem de carregar em poucos segundos fica muito mais difícil de posicionar.

Algumas vezes é preciso mudar o servidor ou até mesmo trocar para uma hospedagem dedicada para resolver o problema. Para receber algumas dicas do que fazer você também pode usar as ferramentas de diagnóstico para o desenvolvedor do próprio Google.

Responsividade para dispositivos mobile

Com a chegada dos dispositivos móveis a internet tornou-se muito mais democrática. Hoje qualquer um encontra o que quer com poucos toques na tela. Esses dispositivos são tão práticos que muitos usuários simplesmente deixam de lado os notebooks e desktops para acessar somente com eles.

A experiência e velocidade nos dispositivos mobile é tão importante que ela já é pré-requisito para ranqueamento. Seu site precisa adaptar-se ao tamanho da tela do usuário para que ele tenha uma experiência excelente, não importando se está em um smartphone, tablet ou desktop.

Sites mais amadores geralmente perdem nesse quesito. Para fazer o teste e descobrir se seu site é otimizado basta acessá-lo de um smartphone. Observe se o conteúdo se adapta ao tamanho da tela ou se você precisa arrastar para o lado para ver páginas completas. Percebeu algum problema? Procure uma agência de marketing digital para médicos para resolvê-lo e obter melhores resultados com o site.

SEO médico off-page

Seu site também precisa de trabalho externo para conseguir gerar autoridade e mostrar ao Google que possui conteúdo de qualidade. Quando um profissional da saúde quer mostrar ao cliente sua expertise na área pode aproveitar indicações de outros pacientes e até colegas de profissão. O site faz o mesmo através de backlinks.

Backlinks, de uma forma bastante simplificada, são links saindo de outros sites que levam aos seus. Isso pode acontecer quando você aparece em uma notícia no jornal digital da sua cidade ou é mencionado em um blog parceiro. Esse trabalho mostra ao Google que seu site é bom o suficiente para aparecer em diversos outros lugares.

Trabalhar com guest posts também é uma excelente ideia. A estratégia consiste em inserir seu conteúdo em outros portais e blogs com links para o seu site.

Combinando as estratégias de SEO médico com um bom conteúdo as chances de ser encontrado online aumentam muito! Quanto mais você aparecer em resultados web melhor será para sua autoridade, bem como para o marketing e faturamento do seu consultório, clínica ou hospital.

mãos de mulher usando laptop trabalhando em palavras-chaves e em SEO médico

Avaliações e depoimentos para SEO médico

Quando falamos de palavras-chave e técnicas de SEO médico muitos esquecem do papel das avaliações. Talvez pareça que elas não são tão importantes, mas estão bastante envolvidas no processo de decisão do possível cliente.

Incluir sessões para avaliações e depoimentos no site é uma ótima forma de otimizar o SEO local e também estimular a conversão. Além de saber quais são suas especialidades, seu cliente em potencial deseja entender o que outros pacientes já acharam do serviço.

Boas avaliações, seja no Facebook ou no site, mostram qualidade e confiança. Quanto mais confiante a pessoa estiver, maiores as chances de tornar-se um paciente através do marketing médico ou marketing odontológico que você esteja fazendo.

Use o Google Meu Negócio no marketing para médicos

Falando em avaliações, existe uma forma excelente e simples de exibi-las e ainda conseguir destacar-se no SEO local: através do Google Meu Negócio. Essa simples ferramenta permite que seu site e perfil se destaquem nas buscas para quem está perto de você.

Além de criar o perfil de sua clínica, hospital ou consultório, no marketing médico é importante mantê-lo sempre atualizado. Isso inclui: horários, serviços e até mesmo postagens e fotos. O Google Meu Negócio funciona como sua fachada na internet. Quando usuários buscam por seu nome ou pelo nome de sua empresa, podem encontrá-lo localmente e obter todas as informações básicas das quais precisam.

Combine essa ferramenta com um bom uso de palavras-chave e otimização de SEO médico e você estará sempre nas primeiras páginas da ferramenta de busca.

Segurança do site para ter sucesso com SEO médico

O Google está sempre tentando melhorar a experiência do usuário online. Por isso, também preza pela segurança dentro de um site. Há algum tempo a ferramenta de busca já tornou praticamente obrigatório possuir o certificado SSL instalado. Ele realiza a criptografia de informações, permitindo que dados dos visitantes não sejam vazados para terceiros. E sus existência no site é um dos critérios de ranqueamento do Google.

Sites que ainda não possuem essa medida de segurança aparecem como “não seguros” nas buscas da ferramenta. Ou seja, além de perderem posicionamento do ranking, as chances de receberem cliques são muito menores.

Boa parte dos planos de hospedagem de sites já possuem opções que incluem a instalação do SSL. Recomendamos que, além de trabalhar com outras ferramentas de SEO, essa medida de segurança seja sempre aplicada.

Dicas para escolher palavras-chave para SEO médico

A escolha de palavras-chave para o SEO é uma das partes mais confusas para esse tipo de otimização. Muitos não sabem muito bem o que usar e “adivinham” as que devem ser mais relevantes para sua área de atuação.

Caso sua estratégia de SEO também seja assim temos um aviso: existem formas mais certeiras para trabalhar com tais palavras. Elas ajudam a garantir um bom resultado com o trabalho e a trazer ainda melhor experiência ao usuário.

Trabalhar com as palavras-chave corretas é uma das chaves para ter sucesso nas pesquisas orgânicas. Confira cinco dicas para escolhê-las corretamente.

alvo com dardo no centro e a palavra SEO esculpida em madeira

1. Misture palavras long-tail e short-tail

No marketing as palavras usadas em buscas são divididas em dois tipos:

  • Long-tail: são termos de pesquisa com dois ou mais termos. Geralmente possuem menor volume de busca, porém com maior intenção de compra. Algo como, “agendar consulta clínico geral” se encaixa nessa categoria;
  • Short-tail: são termos mais curtos e muito mais genéricos. Por isso, possuem um maior volume de busca. A pesquisa “clínico geral” poderia ser considerada uma delas.

É importante misturar os dois tipos de palavras-chave para garantir que seu negócio esteja presente em todas as etapas do ciclo de compra. Seja quando o possível paciente só está curioso e faz buscas genéricas ou quando ele já sabe que precisa agendar uma consulta.

O uso adequado dos dois tipos também ajuda a aumentar a taxa de conversões através do site. Como as palavras-chave mais longas são, em geral, usadas por quem possui mais interesse no serviço, as chances de conseguir um agendamento ou contato aumentam bastante.

2. Use as próprias ferramentas do Google

Quer saber o que usuários pesquisam sobre sua especialidade na internet? Temos uma excelente notícia: não precisa ficar só imaginando, existem ferramentas que mostram algumas das palavras de busca mais relevantes. E elas são do próprio Google!

O Google Trends, por exemplo, mostra quais são os temas mais em alta de acordo com uma pesquisa. Nele você pode selecionar sua localização e período procurado, incluir a palavra-chave e esperar os resultados. Ele é especialmente útil na hora de escolher temas para seu marketing de conteúdo.

Se o objetivo for só escolher palavras-chave estratégicas o mais recomendado é usar o Google Keyword Research, com faria uma agência de marketing odontológico ou médico. Apesar de ter sido criado para realizar anúncios, ele tem sido bastante utilizado no SEO orgânico. A ferramenta mostra a quantidade média de buscas de um termo e ajuda a elaborar um ranking dos mais relevantes.

3. Combine as palavras encontradas com seu local

Muitas buscas que levam a contatos são combinadas com um local. Alguém que procura por “hospitais em São Paulo” certamente terá uma experiência muito melhor se encontrar seu negócio entre os primeiros resultados. Isso significa que suas palavras-chave também devem refletir isso.

Só tome cuidado para usar sua localização de forma natural em publicações, fotos e conteúdo. O excesso de palavras incluídas no texto artificialmente mostra ao Google que sua página não possui qualidade. Na pior das hipóteses ela pode ser punida!

Pense sempre na pessoa que eventualmente lerá os textos no seu site. Tudo precisa parecer simples e de fácil compreensão. O algoritmo do Google tem evoluído para proporcionar a melhor experiência possível ao usuário.

4. Use as palavras-chave em títulos e tags

Todas as páginas do site precisam mostrar para a ferramenta de busca a qual pergunta podem responder. Isso significa que as palavras-chave para o SEO médico devem estar em posições estratégicas. Os títulos, sejam eles principais ou secundários, são especialmente importantes.

Tente incluir o termo de busca para o qual deseja posicionar em uma boa quantidade de H1, H2 e H3, que são como os títulos de uma página são indicados no código html que a compõe. Junto de um bom texto eles ajudarão o Google a compreender que aquele é um bom resultado e deve estar em posições mais altas na busca orgânica.

Para ajudar ainda mais, trabalhe com palavras-chave nos atributos alt das imagens. Essas tags, que podem ser inseridas ao configurar a imagem, permitem que o “robô” do Google entenda sobre o que é aquele elemento gráfico. Afinal de contas, a ferramenta só é capaz de avaliar textos e códigos.

dois executivos em tablet trabalhando estratégias de SEO médico

Boa práticas de SEO médico para seu site

Dentre todas as ferramentas de marketing digital, o SEO é uma das mais importantes a longo prazo. Sem ele todo o esforço para a criação de um bom site será em vão, já que poucas pessoas chegarão a visitá-lo.

É através das otimizações que mencionamos que seu site ganhará destaque nas ferramentas de busca. Que tal começar com algumas boas práticas que trarão resultados bastante eficientes? Separamos os truques mais utilizados por agência de marketing digital para garantir o melhor posicionamento para o site.

1. Use palavras-chave para criar artigos de blog com SEO médico

Temos uma notícia para você: sem um blog, sua estratégia de SEO não estará completa. Ao criar um blog e mantê-lo atualizado é possível continuar incluindo novas palavras-chave dentro do site de maneira orgânica. Além disso, você ganha mais autoridade e ainda alimenta seu público com informações relevantes e confiáveis sobre sua área.

Ao pesquisar palavras-chave para seu site você deve ter montado uma lista de tudo em que precisaria posicionar-se. Além de incluí-las nas variadas páginas, como home, sobre e especialidades, ainda é importante continuar o trabalho com artigos.

Isso aumenta a densidade de palavras e termos relacionados usados. Ou seja, ao publicar artigos com frequência é possível posicionar-se organicamente para uma quantidade maior de termos de busca e melhorar ainda mais o posicionamento para aqueles que estão em outras páginas.

Para isso, será necessário utilizar textos otimizados para SEO. Continuaremos dando mais dicas sobre o processo nos próximos tópicos.

2. Inclua a palavra-chave nas URLs de páginas

Tudo no site precisa ser amigável para o usuário, inclusive as URLs. Esse é o endereço web que a pessoa vê na barra de busca do navegador ou logo abaixo do título do resultado no Google. Existem dois motivos principais para otimizá-las:

  1. URLs simples e que combinam com o título ajudam o usuário a decidir rapidamente se uma página é relevante para sua busca. Elas aumentam a quantidade de acessos através de resultados nessas ferramentas e são excelentes para o posicionamento orgânico;
  2. Simplificam a vida do usuário para compreender o que existe em cada página e passam a impressão de segurança. Uma URL longa cheia de números e palavras que não fazem sentido também desestimulam as visitas.

A dica é manter a simplicidade e encurtar ao máximo os endereços. Se possível, use somente a palavra-chave e um pequeno complemento que ajude a entender o conteúdo da página. Todas as outras informações podem ser dispensadas, já que o usuário deve conferir os dados somente depois de clicar.

3. Use links internos em todas as páginas e artigos

Para o Google, quanto mais tempo o usuário navegar em seu site, melhor será. Isso inclui tempo passado em uma única página e também navegando entre diversas páginas dentro do seu domínio. Por isso, os links internos têm ganhado tanto destaque no mundo do marketing digital médico.

Mas tome cuidado para não encher sua página de links que nada têm a ver com seu conteúdo! A tecnologia do Google e de outras ferramentas de busca fica cada vez mais sofisticada e pode identificar quando o link é aleatório.

Recomendamos escolher páginas de destino relacionadas ao que está sendo falado no texto. Em um artigo sobre diagnóstico de problemas na coluna, por exemplo, você pode incluir um link para outro artigo explicando como ocorrem exames de imagem para problemas na coluna.

Assim, você desperta o interesse do usuário e ainda aumenta suas chances de se posicionar bem nos resultados orgânicos.

4. Inclua texto alternativo em imagens com SEO médico

Existem tantos detalhes para prestar atenção quando o assunto é SEO que é fácil esquecer que as imagens também importam. Os spiders do Google, bots que vasculham o site para definir sua relevância para os resultados, não conseguem identificar o que existe em conteúdo gráfico.

Por isso, precisamos explicar a eles o que estamos incluindo ali. Isso é possível através do texto alternativo, a tag alt, uma linha de conteúdo que será exibida sempre que a imagem não puder aparecer. Para conseguir os melhores resultados em SEO, esse texto precisa conter a palavra-chave, de preferência dentro de um contexto.

Quem utiliza WordPress consegue configurar essa característica com bastante facilidade sempre que for inserir imagens. Outras ferramentas para criação de sites também estão aderindo a formas mais práticas de editar o texto alternativo, deixando-as mais intuitivas para facilitar a otimização.

5. Use palavras-chave de forma natural

O Google é muito mais inteligente do que imaginamos! Ele consegue identificar quando uma certa palavra-chave só foi “jogada” ao longo do texto para ter volume de termos. Além dessa prática não ajudar a posicionar seu link, ela gera punições para o site.

As ferramentas de busca chamam a prática de “canibalizar palavras-chave” e ela é extremamente prejudicial por piorar a experiência do usuário. Para conseguir manter a pessoa por mais tempo em seus resultados de busca o conteúdo precisa ser excelente.

Infelizmente, quando uma palavra é repetida inúmeras vezes somente para ser encontrada pelo Google isso não acontece. Ela prejudica o texto e faz o usuário desistir da leitura. Ou seja, prejudica diversas métricas que são consideradas relevantes para o posicionamento de sites.

Sites mais antigos talvez tenham esse tipo de prática em seus primeiros textos. Se for o seu caso, recomendamos voltar e consertar tudo antes de começar a aplicar novas estratégias de SEO.

6. Simplifique textos com SEO médico

Nós amamos artigos longos e cheios de conteúdo útil para o usuário. Eles geram valor para o blog, ajudam a aumentar o tráfego, mas precisam ser bem-feitos. É comum exagerar no tamanho das frases e dos parágrafos, deixando tudo muito denso.

Isso prejudica a experiência do usuário e gera uma maior taxa de abandono de páginas. Algumas ferramentas de SEO, como o Yoast, ajudam a identificar frases muito longas para conseguir otimizar o texto. O mais recomendado é manter o conteúdo o mais fácil de ler possível.

Alguns truques que ajudam no momento da escrita incluem:

  • Separar o artigo em tópicos ao invés de escrever um parágrafo longo;
  • Criar listas (algo que também ajuda a prender a atenção do leitor);
  • Usar mais subtópicos para explicar o tema.

Tudo isso ajuda a dar espaço de respiro no texto, mesmo que ele seja longo.

Como usar backlinks na estratégia de SEO médico?

Ao pesquisar sobre SEO médico já encontrou o termo “backlinks”? Eles são links externos que levam até uma página da web e ajudam a dar maior autoridade para ela. Caso você esteja procurando links para levar ao seu site sem ainda produzir conteúdo o ideal é voltar ao início deste artigo: para conseguir sucesso a página precisa ser relevante.

Mecanismos de busca consideram que quanto mais pessoas estão usando um link de referência, melhor será seu conteúdo. Por isso, sites com maior número de backlinks tendem a ter melhor posicionamento orgânico também. Só tome cuidado, porque qualidade importa! De nada adianta ter dezenas de links se todos são em sites mal posicionados.

É comum encontrar parceiros para conseguir aplicar esse tipo de estratégia. No caso do marketing digital para consultório odontológico e médico, o ideal é encontrar outros sites de áreas relacionadas. Seja de clínicas parceiras, convênios, hospitais ou até de médicos de outras especialidades, tudo ajuda a posicionar melhor o site.

mãos de mulher ao notebook trabalhando palavras-chave para SEO

Dica: use o Google Search Console para melhorar seu posicionamento

Falamos muito sobre como posicionar um site com uma boa estratégia de SEO, mas faltou um detalhe crucial: o Google Search Console. Quando a ferramenta de busca tenta identificar quais sites são mais relevantes para um resultado, ele usa seus bots para vasculhar caminhos já conhecidos.

Ou seja, quem tem um site já posicionado geralmente tem maior facilidade para aparecer para novas palavras-chave ou melhorar seu posicionamento. Agora vamos imaginar alguém com um site novo: como fazer para que o Google o identifique com maior velocidade?

A chave está em uma ferramenta chamada Google Search Console. Ele é usado para “apresentar” os links e acelerar sua indexação, além de mostrar por quais palavras-chave o site está sendo acessado. Ele também ajuda a identificar possíveis erros que prejudiquem seu posicionamento.

Passo a passo para usar o Google Search Console no SEO médico

Chegou a hora de indexar sua página no Google para começar a obter bons resultados da otimização SEO. Preparado? Confira o passo a passo simples abaixo.

1. Inclua sua URL no Google

Tudo começa ao acessar o Search Console e logar com uma conta do gmail. Depois, o próprio site já direciona o usuário para a página onde deve cadastrar uma URL para rastrear. Inclua seu site e siga as instruções da plataforma para conseguir configurá-lo. Se estiver com dúvidas consulte o programador responsável.

O processo de verificação do Google não é imediato. Ele leva de algumas horas a alguns dias para ser finalizado. Você receberá todas as atualizações referentes ao seu site no gmail, portanto inclua um endereço que você tenha o costume de verificar.

2. Repita o processo para seu blog

Assim que você incluir a primeira propriedade terá acesso completo à ferramenta. Quem possui um site recém lançado pode aproveitar para adicionar as páginas do blog para conseguir que posicionem mais rapidamente.

Alguns usuários gostam de indexar todas as novas páginas usando a ferramenta. Para isso, basta colar a URL na barra superior da ferramenta e solicitar a indexação. Caso surjam erros, lembre-se de corrigi-los antes de tentar o processo novamente.

3. Crie um sitemap no marketing para clínicas

Através do Search Console é possível verificar o sitemap de sua URL. É comum que, depois de indexado, você perceba que o map não está na ferramenta. Nesse caso, é possível criá-lo e introduzi-lo posteriormente no Google.

Resumindo bastante, podemos considerar o sitemap como uma lista de todas as URLs do domínio. Ele ajuda os bots do Google a saberem onde verificar seu conteúdo, melhorando o posicionamento orgânico.

Quem ainda não tem um mapa do site e usa WordPress pode criar um novo usando um simples widget. Depois de criado, basta colocá-lo no campo dedicado a isso dentro do Search Console para que ele seja incorporado.

4. Use para realizar diagnósticos

Uma das ferramentas mais importantes do Search Console para o SEO são seus diagnósticos. Depois de incluir suas URLs na ferramenta ele pode fazer um diagnóstico para identificar possíveis problemas que estejam prejudicando sua indexação.

Aproveite cada diagnóstico para manter seu site ainda mais otimizado. A ferramenta inclusive mostra as melhores formas de resolver o problema. Quando ocorrem alterações no site que precisam de atenção, o Search Console também envia e-mails de alerta para o responsável pelo domínio.

Como usar o Google Analytics no SEO médico

Temos mais uma ferramenta para recomendar: o Google Analytics. Além de ser gratuito ele é excelente para acompanhar os resultados da sua estratégia de SEO e de marketing digital em geral. A ferramenta mostra diversas métricas, como número de acessos e tempo de permanência na página. Tudo pode ser segmentado de acordo com período para facilitar a análise.

O grande problema do Analytics para iniciantes é o volume de dados. São tantas informações que fica difícil de saber o que realmente é relevante e exatamente o que casa item indica. Confira algumas dicas para usá-lo na elaboração de seu SEO médico.

1. Descubra seu conteúdo mais popular

Ao entrar na plataforma é possível analisar o número de acessos por página. Separe por URL para descobrir quais são seus artigos mais acessados! Quem tem blog há bastante tempo perceberá que alguns conteúdos possuem uma diferença gritante de acessos.

Isso é o que chamamos de conteúdo evergreen no marketing digital. São artigos que possuem informação que permanece relevante para o público mesmo depois de meses. Ao encontrar esses posts você consegue desdobrá-lo em adaptações para redes sociais, e-mail marketing e até conteúdo para download. Isso ajuda no planejamento de conteúdo e até a ter mais resultados com suas publicações.

2. Veja artigos que precisam de mais trabalho

Enquanto existem conteúdos que recebem milhares de acessos, existem outros que deixam a desejar. Eles também merecem sua atenção! Verifique quais posts não caíram nas graças do público para saber o que melhorar em seu blog.

Existem várias possibilidades para a baixa popularidade de um conteúdo. Talvez o tema escolhido realmente não seja muito interessante. Nesse caso vale a pena anotá-lo para evitar voltar a trazer algo que não importa para seu público.

Por outro lado, o artigo pode estar mau otimizado ou muito raso. Faça um experimento: complemente o post um pouco e refaça sua otimização para facilitar a leitura. É possível que as métricas melhorem e assim você contribua bastante para o SEO médico.

médico ao computador estudando marketing médico

SEO médico vs. tráfego pago, qual é melhor?

Enquanto estrutura seu marketing digital para clínica você encontrará os termos SEO e tráfego pago, geralmente usados muito próximos. Já vem o primeiro aviso: eles não são a mesma coisa e possuem usos bastante distintos.

Enquanto o SEO traz tráfego orgânico, ou seja, de certa forma, gratuito, para seu site, o tráfego pago usa verba investida para gerar cliques. Portanto, ele é um tipo de anúncio que deixa seus links na primeira página de ferramentas de busca. É assim que conseguimos um aumento rápido em visitas.

Isso significa que dá para abrir mão do SEO (que possui um tempo de implementação mais longo) para utilizar o tráfego pago? Não exatamente, afinal de contas, as estratégias se complementam.

Qual deve ser o objetivo do SEO médico?

Precisamos entender que o SEO é uma estratégia de marketing para médico que traz resultados de médio a longo prazo. Pode demorar meses para que o gestor perceba um aumento considerável nas visitas, cliques e ligações.

No entanto: ele também é perene. Uma vez posicionado, o site dificilmente perderá suas posições, especialmente quando continuamos trabalhando com boas práticas de SEO que ensinamos neste artigo.

Além disso, sites que estão bem posicionados organicamente passam a fazer parte do funil de compra. Eles estão presentes desde a primeira dúvida sobre saúde que o possível paciente teve, quando ele ainda nem tinha certeza se precisava de um médico. Aos poucos, geram confiança e conquistam clientes que serão leais por muito tempo.

Definindo o objetivo do tráfego pago

O tráfego pago é mais imediatista. Com a verba definida é possível deixar qualquer link do site entre os primeiros resultados das buscas do Google ou outras ferramentas. Eles aparecerão com um sinal de “anúncio” ao lado, mas isso não diminui sua eficiência.

Uma de suas maiores vantagens é a atração de pessoas que já se encontram no final do funil de compra: prontas para agendar sua consulta. Isso acontece graças às ferramentas de direcionamento do anúncio, que determinam quem deve ser atingido e quando.

Os resultados são imediatos. Assim que a estratégia paga vai ao ar, a clínica está pronta para receber novas visitas ao site ou ligações. É importante saber que um site otimizado também terá menor custo por resultado nos anúncios pagos. Por isso, nunca abra mão do SEO pensando em obter somente cliques rapidamente.

O que evitar no SEO médico para não sofrer punições do Google

Na tentativa de conseguir posicionar bem o site e sentir resultados rápidos, podemos exagerar um pouco nas estratégias de SEO médico. Nesses casos, existem alguns erros comuns que cometemos e precisamos ficar atentos para evitar! Confira os mais cometidos para manter seu marketing saúde excelente e sem punições das ferramentas de busca.

1. Excesso de palavras-chave por página

Essa é uma prática que chamamos de keyword stuffing. É um erro bastante normal, especialmente quando estamos começando a implementar o SEO. Afinal de contas, todo mundo fala que precisa incluir a palavra desejada 10, 20 vezes por página, não é mesmo?

Não exatamente. Já chegou a hora de entender que os algoritmos de ferramentas de busca são bastante inteligentes. Eles não procuram somente a quantidade de palavras em um texto, mas também o contexto em que foram inseridas.

Mesmo que você tenha uma palavra-chave aparecendo 30 vezes, isso pode prejudicar seu site. Isso acontece porque o algoritmo já está avançado o suficiente para entender se o termo foi usado de uma forma que faz sentido e que trará uma boa experiência ao usuário. Portanto, focar em produzir conteúdo de qualidade continua sendo melhor que encher todos os artigos do site com termos de busca.

2. Uso de links não-relacionados à área

Os backlinks são importantíssimos para garantir resultados com SEO. O algoritmo avalia a quantidade de URLs únicas que levam para sua página para definir sua autoridade. É como se esses sites de terceiros fossem amigos indicando seu conteúdo como algo de qualidade.

Sabendo disso, alguns gestores tentam burlar o sistema e acelerar o processo através da troca de backlinks. É uma estratégia comum bastante usada por agências de marketing digital, mas que precisa de critérios.

Trocar links aleatoriamente só gera prejuízos para seu site. Assim como acontece com as palavras-chave, o algoritmo é capaz de identificar quando o link foi inserido em um contexto relacionado a ele.

Além disso, a qualidade dos sites que oferecem backlinks também conta. Sites recentes, sem conteúdo ou com SEO questionável só podem prejudicar sua página. Por isso, é importante contar com uma estratégia de troca de backlinks sólida. Na dúvida, converse com profissionais do marketing antes de começar esse tipo de técnica.

3. Deixar de usar links internos

Quem está se matando para conseguir aumentar os números de backlinks precisa prestar atenção nessa dica: os links internos também contam. Eles ajudam o algoritmo a navegar entre as páginas e também oferecem melhor experiência ao usuário.

É graças a eles que visitantes que chegaram através de uma página continuam a navegar para conhecer novos artigos. Quando colocamos uma quantidade adequada, conseguimos melhorar o tempo de permanência no site e até gerar mais visualizações para outros artigos.

4. Deixar conteúdo de marketing médico sem atualização

Assim como seu público, ferramentas de busca adoram conteúdo novo! Mesmo quem publica artigos semanalmente no site precisa manter seus posts antigos frescos. Por isso, é importante sempre revisar seus artigos mais velhos, definir os mais relevantes (você pode fazer isso por número de acessos ou tempo de permanência na página, por exemplo), para escolher quais merecem atualizações.

Vale a pena sempre adicionar novos tópicos, seja sobre novidades recentes que surgiram na área médica ou até mesmo incluir informações que ainda não haviam chamado sua atenção na época que escreveu o artigo.

Mesmo que esse post não apareça na home de seu site como “novidade”, ele vai chamar a atenção das ferramentas de busca.

O que é SEO médico técnico?

Quando falamos em SEO médico em geral mencionamos otimização de SEO on-page, que são as alterações que fazemos facilmente no texto da página através do WordPress ou outros gestores de conteúdo. No entanto, existe outra categoria importantíssima para garantir uma boa experiência do usuário e posicionamento no Google.

O SEO técnico são os problemas técnicos que devemos resolver antes de conseguir qualquer tipo de resultado online. Alguns dos problemas mais comuns que ele soluciona incluem:

  • Estrutura HTML do site;
  • Velocidade de carregamento;
  • Responsividade;
  • Carregamento de página.

Como o próprio nome explica, são características bastante técnicas do site que simplesmente impedem o SEO on-page. Por isso, elas devem ser resolvidas o quanto antes. Caso você já esteja implementando otimização de palavras-chave e ainda não obteve resultados, talvez o problema esteja aqui.

Como implementar SEO técnico no site?

Aviso: SEO técnico é uma área mais aprofundada que exige certo conhecimento em programação e HTML. Caso você ainda não tenha especializações nesse setor, o ideal é procurar uma agência de marketing digital ou profissional especializado para realizar o serviço.

O ideal é iniciar resolvendo problemas básicos de segurança do site. A implementação do Certificado SSL é um exemplo. Esse certificado de criptografia tem sido exigido pelo Google há algum tempo para melhorar a segurança do usuário. Sites que não o utilizam deixam de aparecer nos resultados, não importa quão bom seja seu SEO.

Solucionar problemas de velocidade e garantir que o site seja completamente responsivo para mobile também é essencial.

O que é SEO médico local?

Esse tipo de SEO está muito relacionado ao aumento de ligações e agendamentos do médico em seu consultório, clínica ou para um hospital. É ele que garante que seu site estará entre as pesquisas feitas na sua cidade ou região por geolocalização ou até mesmo pelo nome da cidade.

Imagine que você está procurando um clínico geral, certamente não quer encontrar todos os clínicos do País, então faz a seguinte busca: “Clínico geral São Paulo”. Os primeiros resultados que seguem são selecionados de acordo com a localização da clínica. Além de estar bem posicionado em geral no SEO, você precisa aparecer nessa lista para garantir que seus futuros pacientes o encontrem com facilidade.

Boa parte desse processo está relacionado ao Google Meu Negócio, do qual já falamos um pouquinho mais acima. Falaremos mais sobre ele e outras ferramentas nos próximos tópicos.

Como aparecem resultados de SEO local

Por acaso você já fez uma busca por geolocalização? O termo pode parecer complicado, mas a pesquisa é bastante simples. Basta fazer uma busca com a localização do smartphone ativada ou incluir um nome de lugar nos termos de busca.

Nesse momento os primeiros resultados aparecem logo abaixo de um mapa mostrando a região pesquisada. É o que empresas de marketing digital chamam de “resultados por geolocalização”, ou seja, aqueles que estão mais próximos de quem pesquisou.

Uma dica importante: quem domina o SEO local consegue aumentar consideravelmente o número de visitas. Pessoas que buscam considerando a local geralmente já estão prontas para comprar ou realizar seu agendamento.

médica ao tablet estudando marketing digital

Passo a passo para implementar SEO médico local

Parece bastante vantajoso combinar uma estratégia de SEO on-page com o SEO local, não é? Então confira esse passo a passo simples para conseguir conquistar ainda mais pacientes através da internet.

1. Tenha um site mobile friendly

Seu site precisa ser amigável para smartphones e similares para todas as outras dicas funcionarem. O motivo é simples: a esmagadora maioria das buscas locais é feita usando um dispositivo mobile, sejam eles celulares ou tablets.

Não só porque as pessoas usam o Google e ferramentas de busca similares com muita frequência nos seus dispositivos, mas porque esses resultados são compartilhados com APPs. O Google Maps, por exemplo, aproveita o mesmo conjunto de resultados que as buscas do Google para certas localizações fornecem.

Por isso, um site que não simplifica a vida do usuário de dispositivo móvel dificilmente conseguirá estar entre os primeiros colocados.

2. Escolha palavras-chave locais

Até agora falamos bastante sobre palavras-chave. Se ainda tem dúvidas a respeito disso, basta voltar um pouco neste guia, que tem uma seção bastante completa mais acima. No entanto, chegou a hora de falar um pouco mais a fundo sobre as palavras locais, ou seja, aquelas que as pessoas usam quando querem encontrar algo perto delas.

Esses termos devem mencionar sua cidade ou até mesmo o bairro. Tudo depende de como as pesquisas acontecem por aí. Cidades maiores e mais populosas costumam ter buscas por bairro ou distrito, já que se locomover até certos pontos pode custar bastante tempo. Já municípios pequenos raramente precisam disso.

Está na dúvida? Jogue seu termo de busca no Google e verifique os “autocompletes”, aqueles termos que aparecem abaixo como sugestão. Eles indicam o que outros usuários buscam com frequência.

3. Crie um Google Meu Negócio para o SEO médico local

Sim, nós já falamos sobre o Google Meu Negócio em estratégias de SEO médico, mas vale a pena relembrar. Esse é um dos principais fatores para conseguir um bom posicionamento nas buscas locais. Depois de confirmar seu cadastro, é importante manter as informações atualizadas. Horário, endereço e formas de contato precisam estar sempre certas para garantir que seus pacientes conseguirão dados rapidamente.

Além disso, recomendamos incluir posts rotineiramente para mostrar à ferramenta e usuários que seu negócio está ativo. Vale a pena criar adaptações de posts de redes sociais e até incluir novidades da clínica. Tudo isso precisa receber as devidas otimizações com palavras-chave locais para auxiliar no seu posicionamento.

4. Cadastre-se no Bing Places e Apple Maps

Já ouviu falar em duas ferramentas para pesquisas locais: o Bing Places e Apple Maps? Provavelmente não, especialmente porque elas não são muito usadas por aqui, pois tem uma fatia de mercado menor que 7%. Mesmo assim, elas contribuem para gerar autoridade ao seu negócio e ainda são usadas como bases de dados para APPs importantes.

Então, não existem motivos para deixar de aparecer nesses resultados, especialmente considerando que muitos concorrentes ainda nem sabem que eles existem. Além disso, o cadastro é gratuito, aproveite!

Para realizar o cadastro e começar a incluir a ficha do seu negócio, basta visitar os links abaixo:

5. Cadastre-se em listas de negócios locais

Provavelmente existem alguns sites com listas de negócios para sua cidade. Talvez você tenha ignorado seus e-mails até agora, mas sabia que eles são links importantes para o algoritmo das ferramentas de busca? Quanto maior sua quantidade, melhor será sua autoridade local para o Google.

O lado bom é que você não precisa ficar esperando que alguém tenha a ideia de incluir sua clínica na lista. Boa parte deles permite realizar seu próprio cadastro. Depois é só esperar ser aprovado e pronto: basta combinar com as outras otimizações que incluímos por aqui para conseguir os melhores resultados.

Médica olhando para a tela trabalhando seu site E-clínica Marketing Digital

Passo a passo para iniciantes no SEO médico

A ideia de SEO médico atrai por ter um enorme potencial para trazer crescimento e novos pacientes para clínicas e hospitais. Mas o que fazer se você é um iniciante na área e ainda entende muito pouco de marketing médico?

O lado bom é que existem muitas dicas que qualquer um pode aplicar em seu negócio, mesmo sem tanto conhecimento do digital. Trouxemos um passo a passo básico para que você consiga começar agora mesmo:

1. Faça uma auditoria de SEO médico para seu site

Tudo no SEO médico começa entendendo onde você está agora, o que já está bom e o que deve ser melhorado. Essa auditoria deve incluir alguns tópicos, como:

  • Saúde técnica do site (velocidade de carregamento, links quebrados, layout atualizado, entre outros). Você pode fazer isso através de uma ferramenta do próprio Google, o Pagespeed Insights (link: https://pagespeed.web.dev/);
  • Segurança do site: verifique se o endereço já utilizada SSL (criptografia de segurança que garante que o portal tem menores chances de vazar dados de usuários);
  • Análise de concorrentes: veja se eles fazem algo que você ainda não adotou;
  • Análise de links: todos os links do site precisam funcionar, caso existam URLs que deixaram de existir, elas precisarão ser redirecionadas.

2. Entenda o que torna um site mobile-friendly

Enquanto você faz a auditoria de SEO médico que mencionamos acima deve encontrar o termo “dispositivo mobile/móvel” algumas vezes. O que isso significa exatamente?

Hoje em dia a maior parte dos usuários acessa sites através de seus dispositivos móveis, como smartphones e tablets. Por isso, sites antigos que ainda não se adaptaram a esse tipo de tela oferecem uma experiência de usuário negativa.

Quanto mais amigável o endereço for para os usuários de mobile, melhor será seu posicionamento no Google. Confira algumas características que influenciam:

Velocidade

O Google sabe que muitos usuários desistem do site quando demora para carregar mais de três segundos. Agora considere que os dispositivos móveis são usados em todo lugar, especialmente em locais com conexão de internet um pouco ruim. Sites que são lentos geram prejuízos diretos ao seu SEO.

Segurança

A segurança na internet é um tema importantíssimo para os dias atuais e, para muitos usuários mobile, fundamental para decidir ficar em um site. Afinal de contas, boa parte das pessoas têm dados sensíveis em seus dispositivos, como dados bancários, contatos, entre outros. Manter o SSL atualizado e tomar medidas para evitar vazamentos de dados ajudará a melhorar seu posicionamento.

Adaptabilidade para mobile

A tela de um smartphone é muito diferente da tela de um desktop. Lembre-se que o site precisa ser igualmente visível e fácil de navegar quando o usuário está em telas diferentes. Boa parte dos layouts atuais de sites já são adaptados, mas é importante verificar essa questão.

3. Invista em conteúdo de SEO médico

SEO médico envolve conteúdo, quase todo mundo sabe, mas é importante reforçar: tanto qualidade quanto quantidade são importantes para as métricas atuais das ferramentas de busca. O Google, por exemplo, quer ter certeza que está indicando um site atualizado e de confiança para seu usuário.

Já quem visita sua URL gostaria de ter novidades a todo momento e tem maiores chances de voltar quando seu site é atualizado periodicamente. Mantenha uma rotina de publicações para que tanto ferramentas de busca quanto usuários reconheçam seu portal.

4. Leve seus artigos para o Google Meu Negócio

Sabia que o Google Meu Negócio tem sido uma das ferramentas mais importantes para muitas empresas locais? Clínicas e hospitais também conseguem vantagens ao integrar seu conteúdo da plataforma ao site.

Para isso é bastante simples, confira o passo a passo:

  1. Entre na seção “POSTAGENS” do Meu Negócio;
  2. Selecione o botão “CRIAR POSTAGEM”;
  3. Selecione a opção “NOVIDADES”;
  4. Inclua uma imagem e um breve resumo do artigo;
  5. Adicione o botão “SAIBA MAIS” e inclua um link para sua publicação.

Assim, você consegue aumentar o tráfego para o site e ainda mantém esse perfil do Google atualizado.

5. Use avaliações de pacientes

Sabia que seu SEO também ganha quando você conquista novas avaliações de pacientes? Primeiramente, elas permitem que possíveis clientes ganhem confiança ao perceber a qualidade do serviço e aumentam as chances de um contato.

Uma dica importante é incorporar essas avaliações dentro de seu site. Além de arrecadar novas palavras-chave, você consegue manter usuários por mais tempo na página. Esse fator mostra aos buscadores a qualidade do conteúdo.

Lembre-se de usar o máximo possível de avaliações atualizadas. Caso contrário, o efeito de confiança pode ser quebrado. Imagine o que você pensaria se visse a mesma avaliação por três anos em um site.

Homem clicando em barra do google site E-clínica Marketing Digital

Controle de qualidade do SEO médico

SEO médico envolve um padrão altíssimo de qualidade que vai muito além de simplesmente posicionar palavras-chave na página. O Google e outras ferramentas de busca sabem o potencial danoso da desinformação na área médica e tentam combater isso através de seus algoritmos.

Atualmente, a ferramenta trabalha com o SQEG (Search Quality Evaluator Guidelines), que coloca sites de saúde dentro de uma categoria especial que pode afetar a segurança, saúde e estabilidade financeira.

Isso significa que analistas humanos estão sempre revisando a habilidade de algoritmos de diferenciar informação de qualidade e a que não possui valor. Produzir artigos de qualidade pode fazer toda a diferença para sua estratégia.

Como garantir que seu site seja considerado de qualidade?

Agora vamos partir para algo além do SEO médico, já que é importante confirmar a autoridade do seu site para usuários e ferramentas de busca. A caça contra fake news pode acabar prejudicando seu endereço, caso deixe de aplicar as correções que indicaremos abaixo.

  1. Mantenha as credenciais dos profissionais da medicina no site (como número de CRM e nome completo);
  2. Atualize conteúdo antigo de divulgação científica ou novidades para evitar artigos com dados defasados;
  3. Inclua links para fontes de qualidade (como artigos científicos ou organizações referência na sua área, como o INCA para assuntos oncológicos);
  4. Evite links para sites de baixa qualidade ou com informações duvidosas.

O ideal é mostrar sempre que as informações possuem boa base científica.

Como avaliar o sucesso do SEO médico?

Depois de aplicar diversas técnicas de SEO médico permanece a questão: como saber se tudo deu certo ou o site ainda precisa de adaptações? Existem formas de entender a quantidade de tráfego orgânico no qual estamos trabalhando.

De forma simples, existem mais de 200 fatores que o Google considera para definir os principais resultados. É possível conferi-las uma por uma, mas isso não é muito prático. Por isso, analistas de marketing e agências costumam selecionar uma série de métricas para acompanhar.

Elas são um tipo de termômetro do sucesso do SEO. Quando estão positivas, significa que tudo está funcionando e você pode continuar o trabalho.

Gráfico de métrica de SEO médico site E-clínica Marketing Digital

Métricas de SEO médico para observar

No SEO médico o acompanhamento é tão importante quanto a execução. Esse é, inclusive, um dos grandes erros que profissionais cometem na gestão de clínica médica. Confira as principais métricas para acompanhar quando trabalhamos com marketing digital para o posicionamento de um site.

1. Tráfego orgânico no SEO médico

É o maior indicativo que o SEO médico está funcionando. Afinal de contas, o tráfego orgânico mostra quantas pessoas visitaram sua URL a partir de resultados de busca. Ou seja, não é tráfego que veio de anúncios, de redes sociais ou até de backlinks, mas somente da busca.

Quando alguém chega à sua página dessa forma, você está recebendo usuários bastante interessados. Eles buscaram por uma das palavras-chave para as quais você posicionou seu site.

Você consegue informações detalhadas de tráfego dentro do próprio Google Analytics. Ele também permite verificar dados de acessos de anúncios, redes sociais e outras fontes também. Realizar a comparação ajuda a determinar a efetividade do tráfego orgânico para seu site.

2. CTR (click-through rate)

CTR, ou click-through rate, é uma porcentagem que mostra a fração de pessoas que clicou no seu site comparada ao número total de usuários que o viu na ferramenta de busca. Digamos que seu CTR é de 10%, isso significa que a cada 100 usuários que o encontraram nos resultados de busca, 10 clicaram no link.

Essa métrica indica quão estratégicos e convincentes são seu título, descrição e até URL em alguns casos. Muita gente fica preocupada ao perceber números muito baixos no CTR, mas acalme-se porque existem algumas possibilidades para isso.

A primeira é simples: sua página está muito baixa na ordem dos resultados. Boa parte dos cliques acontecem nos primeiros cinco endereços que o Google oferece. Quanto mais abaixo disso você ficar, menor será o CTR e as visualizações.

A solução também é simples de identificar, melhorar seu SEO. Como já estamos trabalhando para isso, vamos à segunda possibilidade: as descrições não estão otimizadas. Ou seja, mesmo que seu endereço apareça entre os primeiros resultados, pouca gente vai ser convencida a clicar.

Também existe a chance de que a URL não está amigável para o usuário. Sites que não são seguros, por exemplo, costumam sofrer com esse problema. Tudo isso pode ser resolvido diretamente no SEO on-page. Usuários de WordPress têm a solução desse problema de modo fácil com o plugin Yoast SEO.

3. Taxa de rejeição no SEO médico

Talvez você já tenha ouvido falar de taxa de rejeição, ou bounce rate ao estudar SEO médico. Para entender como ela funciona, imagine que você está procurando algo na internet. No primeiro site que entra encontra um primeiro parágrafo que não é exatamente o que você procurava, então deixa o site dentro de poucos segundos.

Para as ferramentas de busca, isso é uma rejeição. Portanto, o bounce rate é a proporção entre pessoas que clicaram no seu resultado do Google e aquelas que abandonaram a URL logo depois de entrar.

As ferramentas de busca só contam visitas depois da primeira interação. Isso significa um clique ou rolar a página. Caso contrário, mesmo um site com muitas visitas pode perceber um bounce rate bastante alto.

Ter rejeições não é necessariamente negativo. O problema é quando essa taxa começa a subir, que é um sinal de que algo está bastante errado com seu site ou conteúdo. Verifique a velocidade de carregamento, tipo e qualidade do conteúdo e como está o layout da página quando isso acontecer.

Homem tocando em gráfico tecnológico imaginário site E-clínica Marketing Digital

4. Posicionamento de palavras-chave

Falamos bastante sobre palavras-chave nos tópicos acima, porque são parte essencial do SEO médico. Agora certamente queremos saber como está seu posicionamento. O mais comum é que termos short-tail, aqueles relativamente genéricos e curtos, sejam mais difíceis para o posicionamento. Então, não estranhe caso seu site não tenha números muito bons para eles.

Já os long-tail permitem posicionar-se de forma mais simples e rápida. O ideal é perceber que seu site mantém uma das primeiras posições ou está subindo mês a mês conforme sua otimização melhora.

Para isso, basta realizar uma busca no Google em uma aba anônima e verificar a ordem de resultados. Outra opção é acessar o Google Webmaster Console para ter acesso a ferramentas que acompanham palavras-chave. Outras plataformas, como o Ubersuggest, também permitem a pesquisa.

5. Autoridade do domínio

Conforme o posicionamento melhora e os acessos aumentam, a autoridade cresce simultaneamente. Existem ferramentas pagas que avaliam essa métrica, sendo as mais conhecidas o SEMrush e o Moz. Os dois dão uma nota de 0 a 100 para a URL, quanto mais próximo chegar de 100, melhor.

A autoridade para ferramentas de busca está bastante ligada a uma estratégia de SEO duradoura. Por isso, novos sites costumam ter nota 1 ou algo próximo e evoluem ao longo do tempo. Esse é seu caso? Não se preocupe, aplicando estratégias corretas esse número deve subir sem muita interferência.

6. Backlinks

Para conseguir melhor posicionamento nas buscas, seu site precisa de backlinks. Não existem atalhos, somente as variadas estratégias para isso que também já comentamos por aqui. Considerando que muita gente também aplica métodos para conseguir backlinks ao mesmo tempo que trabalha outros aspectos do SEO, essa métrica é importantíssima.

Ficar atento ao número de links tem dois objetivos: avaliar se a estratégia para conseguir novos direcionamentos está funcionando e descobrir se existem links tóxicos para o site.

7. Velocidade da página

Essa métrica afeta todas as outras, então dê a devida atenção a ela! Quando o carregamento está devagar, as taxas de rejeição e conversão abaixam caem drasticamente. Já está provado que usuários preferem endereços que ficam interativos por mais rápido. As ferramentas de busca também perceberam isso, portanto, essa informação deve definir se você precisa realizar mudanças urgentes ou não.

Comments are closed.





    Grato pelo envio.
    Em breve você começará a receber nossas newsletters.